28 de Março de 2021

No dia 27 de março de 2021 escrevi o  artigo de opinião sobre "As músicas da nossa vida" para o Jornal da Madeira

https://www.jm-madeira.pt/opinioes/ver/4808/As_musicas_da_nossa_vida

AS MÚSICAS DA NOSSA VIDA

A RTP Madeira estreou em setembro de 2020, um programa de entretenimento intitulado “Músicas da minha vida”, produzido por Nelson Correia e apresentado por Sofia Relva Borges em parceria com Miguel Pires (músico residente do programa). Durante cerca de 60 minutos, a entrevista flui, tendo como fio condutor as músicas previamente escolhidas pelos convidados, músicas estas que são reproduzidas numa versão intimista, cuidadosamente ensaiadas pelo “nosso” pianista e cantor.

Tive o prazer de participar no 23º episódio deste programa, cujo convite agradeço. A gravação ocorreu em Janeiro, e preparei, como solicitado pela produção, a minha playlist, ou seja, a lista das canções da minha vida. Curiosamente, a elaboração desta lista personalizada de canções (baseada nas preferências e recordações musicais) é, por outras palavras, a nossa história ou anamnese musical, exatamente a mesma lista, que é realizada durante a 1ª sessão de avaliação em musicoterapia, com o objetivo de conhecer a identidade sonoro-musical do paciente.

De facto, as músicas relevantes da nossa vida, estão associadas a pessoas, datas, lugares e eventos, e têm impacto pelas memórias que evocam, e emoções que provocam (positivas ou negativas). É natural e expectável preferirmos ouvir canções que nos evocam recordações positivas, mas também pode dar-se o caso de ouvirmos, inesperadamente, e fora do nosso controlo e vontade, uma música que reaviva acontecimentos dolorosos da nossa história. Por exemplo, se eu ouvir a canção “Candle in the Wind” de Elton John, lembro-me da morte trágica da Princesa Diana, falecida no mesmo dia do meu avô materno, a 31 de agosto de 1997.

A audição das músicas da nossa preferência produz efeitos terapêuticos, e pode ser utilizada em contexto individual e hospitalar. Individualmente, no nosso dia-a-dia, podemos ouvir a nossa playlist com vários benefícios. Enumero alguns: 1) nível físico - alívio da dor como áudio-analgésico e como hipnótico para combater a insónia; 2) nível psíquico - regulação emocional, relaxamento e promoção do bem-estar, transformando o nosso estado de ânimo; 3) nível social - fator de coesão e identidade grupal; 4) espiritual – como inspiração e motivação que nos eleva e transmuta.

Em contexto hospitalar, a música de preferência ou familiar, incluída nas intervenções de musicoterapia ou música-medicina, pode ser aplicada de várias formas, das quais destaco: 1) como “música ambiente” para proporcionar uma atmosfera familiar, previsível, com diminuição do desconforto e medo; 2) como analgesia no trabalho de parto, pós-operatório ou durante a realização de procedimentos invasivos e tratamentos oncológicos (quimioterapia e radioterapia); 3) como ferramenta de reabilitação neurológica no AVC; 4) como sedativo nos pacientes internados em unidades de cuidados intensivos (UCI).

A música familiar é também um estímulo poderoso nos indivíduos com doença de Alzheimer, dado que a memória musical é a última a ser afetada nesta doença. Quem não se lembra do vídeo viral, comovente, da bailarina espanhola Marta Cinta, internada num lar de idosos, que ao ouvir a música do compositor Tchaikovsky relembrou a coreografia que tinha feito para o “Lago dos Cisnes” como primeira bailarina em Nova Iorque?

Em conclusão, ouvir as músicas que mais gostamos pelo prazer que nos proporcionam é um comportamento de autocuidado e preservação. Se ainda não fez, crie a lista das músicas da sua vida e consuma-as. A vida é um álbum de canções!

 

publicado por carinafreitas às 11:29 link do post

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Março 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
comentários recentes
Olá Vanice. Obrigada pelo seu contacto. Vou enviar...
Olá! Sou estudante de música e regente de coro inf...
blogs SAPO